2018/08/28

CRUZEI A LUZ DO TEU OLHAR


Pintura de Claude Monet


CRUZEI A LUZ DO TEU OLHAR


Os meus olhos cruzaram a luz do teu olhar
Num dia de chuva, com pingas, aborrecidas,
Tremiam no ar as flores azuis humedecidas;
Olhar teu, onde eu via toda a beleza do mar!

Olhar verde-claro de uma alga humedecida,
Os teus lábios eram rosa, de rosa em botão;
Apareceu-me na alma uma ideia escondida,
Sei lá, um desejo doido, ou até uma paixão!

A maré estava vaza; fomos ouvir o marulhar;
Vimos o brilho da água através da neblina;
Sentado sobre a rocha, estava eu a pensar:

Se ela fosse uma cigana podia-me ler a sina!
Pedi-lhe um beijo, e sua boca assim mo deu;
Descobri o segredo que o coração escondeu!

Alfredo Costa Pereira

2018/08/24

"JARDIM A ORIENTE"


Imagem: Gin Lammert - Tutt'ART@ di Maria Laterza


"Jardim a Oriente"


Pelo silêncio das palavras 
Correm rios de tinta, plantados 
À beira-Céu, azuis do mais refinado
Coração que abraça o`Ser´ao infinito.

São intervalos nas margens do rio
Que acentuam a beleza do`Ser´
E se plantam de rubros olhos aos lábios 
Que bordam a oiro Estio.

Bebessem no pregão ao vento
Pelas almas que declamam amor,
Ou, o suspiro de mágoas, ao sabor
Do que contem o espaço no momento.

São as mudas expressões, contidas silabas,
Que espreitam pela garganta ao mundo
Na esperança de ser voz, ou até, na hábil magia
De serem Flores de poesia.

São sorrisos, ou lágrimas
Sempre da cor das almas
Que vivem no`Ser´
Nas Planícies do "Jardim a Oriente".

© Ró Mar

2018/08/19

SILÊNCIO AZUL...


Imagem do Google

Silêncio azul...


Silêncio azul…
Palavras emudecidas...
Em meu seio por escrever...
Descortinam horizontes,
Vislumbrando pontes
Para além de mim…
Meu sonho?!
E eis que de lés a lés,
Um vulto se expande...
Em desvelo!…
Será a minha alma nua?…
Será a tua?...
Tão linda, tão rubra!…
Em segredo…
Inclinando-se aos pés de Deus...
Ah, e no escrutínio revela...
Um amor profundo...
Elevando as suas mãos, 
Pede a bênção da eternidade…
E ora, ora, ora…
Esvaindo pérolas em flor…
Dos seus doces olhos…
Tão infinitos d´Amor!...

Helena M. Martins
 

2018/07/29

APRENDENDO PELAS ASAS DE UM TEMPO TEU A VOAR


Imagem - ECLiP$E 


APRENDENDO PELAS ASAS
DE UM TEMPO TEU A VOAR


Solta a alma, pela janela de outra vida,
Libertando teu coração aprisionado,
Pelo doce voo de um mar enamorado.
Vai, sem receio, alada pela loucura desmedida,

Enfrenta com serenidade a fúria do mar
Libertando ligeiramente as ondas salgadas
Pelo vento que circunda as asas de um amar.
Vai, sem pressa de voltar às janelas fechadas,

As malfadadas que te tomam os dias
E surrupiam os mais belos momentos.
Porque não deixas o Sol entrar pelas poesias

Que hão-de ser outro mar? A visão de artista
Certo dia existirá, e a olhos vistos,
Tal a beleza de uma natureza que conquista.

Solta a alma, pela janela de outra vida,
Aprendendo pelas asas de um tempo teu a voar.

© Ró Mar